personagens2 1024x512 The Shotgun Diaries   RPG Narrativo

Sei que o RPG narrativo é algo novo para muitos de vocês, uma vez que sua sistemática chegou de forma modesta a pouco tempo em nosso país. Diante disso, a fim de me familiarizar sobre esta nova linha de “Role Play” que tem recebido boas recomendações pelo público internacional, resolvi me arriscar em uma aposta feita pela RED BOX Editora, com um jogo chamado The Shotgun Diaries.

Seu cenário é o de um apocalipse zumbi clássico, onde os jogadores encarnam seus Sobreviventes. Existe um clima de sobrevivência e tensão durante cada sessão que é manifestado através de um marcador de tempo taxado de “Relógio Zumbi”. A cada 10 minutos, seu ponteiro deve avançar um nível, criando um suspense eletrizante para seus jogadores que aguardam a chegada dos malditos mortos-vivos. Em contrapartida, os estoques de Suprimentos do grupo vão se esvaindo com o decorrer do tempo ou em seu uso para a consecução de ações específicas, o que dificulta a sobrevivência. Quanto mais avança o Relógio, maiores são as chances dos Zumbis invadirem o refúgio que guarnece parcialmente a vida dos jogadores. Estas complicações inusitadas são narradas de acordo com a criatividade do Mestre condutor.

The Shotgun Diaries tem um sistema de regras bastante simplificado o que facilita o aprendizado em poucos minutos. Existem seis tipos de Sobreviventes ou Arquétipos de personagens: o Forte, o Perigoso, o Astuto, o Veloz, o Furtivo e o Indefeso. Cada um dos jogadores correm riscos (rolando dados) de acordo com suas características pessoais. Enquanto não houver zumbis em cena, não há o fator risco, portanto, não há rolagem de dados, tudo é narrado. Quando há zumbis, há risco, logo há rolagem de dados. O magnífico do RPG narrativo se manifesta agora, quando o sobrevivente é bem sucedido em uma ação, ele adquire o poder da narrativa, descrevendo como ele quiser a maneira como a cena se desenrola, atrapalhando muitas vezes os planos do Mestre. No entanto, havendo falha em seu lance de dados, o Mestre Zumbi toma a condução da narrativa – seja matando ou infectando o Sobrevivente, ou melhor, equilibrando o jogo encurralando os jogadores e dando-lhes uma nova chance, porém, com uma alta dificuldade para escapar (eu particularmente adoro fazer isso).

Uma das coisas mais interessantes do jogo é o “maldito” Dado do Medo. Cada Sobrevivente, em The Shotgun Diaries, possui um nível de tensão que será medido por sua trilha do medo. Dados do Medo serão lançados em conjunto com os dados normais de cada jogador de acordo com seu nível de “stress”. Caso o jogador obtenha um sucesso no desenrolar de sua ação utilizando-se do Dado do Medo, o jogador narra à cena como se tivesse sido bem sucedido, porém com um tanto de desespero, pensando apenas em sua própria segurança e ignorando o bem estar do restante do grupo; como exemplo deste tipo de desespero o jogador poderá trancar-se sozinho em um refúgio e deixar o restante do grupo do lado de fora, infestado de zumbis. Quanto maior for o temor do personagem mais Dados do Medo serão adicionados a sua rolagem.

ShotgunDiariesImage The Shotgun Diaries   RPG Narrativo

Ao final de cada sessão, cada sobrevivente deve escrever uma página do “diário de sobrevivência” de seu personagem, o que diminui seu nível de Medo em um ponto. Fora isso, ele pode escrever algumas verdades em seu diário, que mais tarde podem conferir dados de bônus para o grupo em sessões posteriores. Embora seja simples e rápido, não acho que o The Shotgun Diaries seja um jogo perfeito para jogadores iniciantes em RPG, pois ele exige bastante desenvoltura do mestre que deve ser tão rápido quanto o Relógio Zumbi a fim de criar situações inusitadas mantendo o bom senso do jogo. Para grupos que gostam de jogos rápidos com alto poder de interpretação e de uma engenhosa dose de criação, este é o jogo ideal.

The Shotgun Diaries está disponível em português e poderá ser adquirido pela loja online da Redbox Editora.

Comentários

Sobre o Autor

é uma relíquia NERD perdida do movimento old school: "AD&D Forever"; é um super fã do universo de Dungeons e Dragons, principalmente dos cenários épicos de Dragonlance, Ravenloft e Forgotten Realms. Estudioso de zumbizologia e um possível bem sucedido sobrevivente do apocalipse que se aproxima (já tenho minha katana e meu plano de fuga), seu hobbie atual, que tem consumido suas horas extras à noite, está relacionado aos board games (fundador da empresa Geek Gamers: http://geekgamers.com.br/)